Doenças Benignas da Mama

Saiba mais como manter os cuidados com a sua mama em dia. Priorize o autocuidado!

Algumas doenças comuns preocupam as mulheres por apresentarem sintomas parecidos ou iguais aos de câncer de mama.

Essas doenças podem ser benignas ou pré-malignas, mas, na maioria dos casos, são benignas. E, para diagnosticá-las, é importante consultar um Mastologista e realizar exames. A principal delas é a dor mamária.

Priorize o
autocuidado!

Nós ligamos para você!

    Principais doenças da mama

    Além do câncer de mama, conheça as doenças mais comuns que acometem as mulheres, e os homens também, e como são feitos seus diagnósticos e tratamentos.

    Nódulos benignos | Fibroadenoma​

    Os fibroadenomas são os nódulos benignos mais comuns da mama, em especial nas mulheres entre 15 e 35 anos. Possuem aparência de um caroço, geralmente duros e redondos e, dificilmente, causam dores. Devido a esse aspecto, podem ser confundidos com câncer de mama.
    Diagnóstico: Seu diagnóstico é feito com exame clínico e exames de imagem (mamografia, ultrassonografia, ressonância). Em alguns casos, podemos solicitar uma biópsia.

    Tratamento: O tratamento pode ser simples, seguindo apenas algumas orientações do Mastologista, mas, em alguns casos, indicamos uma cirurgia.
    Agendar uma consulta

    Cistos | Displasia mamária

    Cistos são como bolhas de líquido acumulado na mama, normalmente, indolores. Já a displasia mamária é o conjunto de alterações nas mamas relacionadas às flutuações hormonais, caracterizada por inchaço e dor, bem como por mudanças de textura das mamas para irregular ou granulosa. Ambos, cistos e displasia, são benignos e muito comuns.
    Diagnóstico: O diagnóstico é feito com exame clínico associados aos exames de imagem (mamografia e/ou ultrassonografia).

    Tratamento: Em geral, a paciente precisa apenas seguir as orientações do Médico Mastologista. Em alguns casos, fazemos a punção (esvaziamento do líquido) para os cistos volumosos e com dor local, com agulha fina.
    Agendar uma consulta

    Dor nas mamas | Mastalgia

    A dor nas mamas é um dos sintomas mais frequentes nas mulheres. Pode se dar em uma ou nas duas mamas, pode ser na mama toda ou em algum lado. Na maioria dos casos, não significa uma doença.
    Diagnóstico: Para o diagnóstico, entendemos a história de saúde da paciente e fazemos o exame clínico avaliando as características da mama.

    Tratamento: Normalmente, o tratamento é composto apenas por orientações à paciente e não necessita de uso de medicamentos.
    Agendar uma consulta

    Infecção ou inflamação | Mastites

    A mastite é uma inflamação da mama caracterizada por inchaço, dor, vermelhidão e calor local, podendo cursar com febre e mal estar. Pode ser causada por agentes externos, como bactérias, ou ser auto-imune (o próprio organismo gera esse quadro). Pode ter ou não relação com amamentação.
    Diagnóstico: Fazemos a avaliação da história de saúde da paciente e das características da mama com exame clínico. Em alguns casos, solicitamos exames de imagem. E, quando é necessário diferenciar de câncer de mama, solicitamos biópsia.

    Tratamento:O tratamento é feito com uso de medicamentos (antibiótico) e, em alguns casos, precisamos realizar a drenagem cirúrgica para retirada do pus.
    Agendar uma consulta

    Mama aumentada nos homens | Ginecomastia

    A ginecomastia é o próprio tecido mamário masculino normal, aumentado em volume. Pode ser causada por excesso de peso, desequilíbrios hormonais ou mesmo não ter a causa definida. É frequente na puberdade.
    Diagnóstico: Para seu diagnóstico, realizamos o exame clínico e, em alguns casos, solicitamos exames de imagem (mamografia ou ultrassonografia).

    Tratamento: O tratamento dependerá da idade do paciente. Em crianças e adolescentes, costuma-se apenas observar como acontece a evolução, pois, é comum que regrida. Em adultos, alguns casos podem ser tratados com medicamento, outros com indicação de cirurgia.
    Agendar uma consulta

    Secreção pelo bico | Descarga papilar

    A descarga papilar é a saída de secreção pelo bico. A maioria das secreções, em especial as amareladas ou esbranquiçadas, não são uma doença na mama. Mas, alguns tipos de secreção parecidas com uma água cristalina ou com presença de sangue, requerem mais atenção.
    Diagnóstico: O diagnóstico requer a avaliação da história de saúde da paciente e exame clínico. Também solicitamos exames de imagem (mamografia, ultrassonografia e/ou ressonância) para verificar lesões que podem causar a secreção.

    Tratamento:O tratamento dependerá do histórico de saúde da paciente e dos resultados apresentados nos exames. Poderá ser apenas o seguimento de algumas orientações ou uso de medicamentos ou cirurgia.
    Agendar uma consulta

    Dúvidas Frequentes

    As dores nas mamas, chamada de Mastalgia, é um dos sintomas mais frequentes nas mulheres e, na maioria dos casos, não significa uma doença. Geralmente, está relacionada às  alterações hormonais do ciclo menstrual e o tratamento é composto basicamente por orientações, sendo incomum o uso de medicamentos.

    O autoexame pode ser realizado uma vez por mês, a partir dos 20 anos. Em pessoas sem queixas nas mamas, o exame clínico com seu médico e mamografia devem ser realizados a partir dos 40 anos de idade, anualmente. E, para as mulheres que possuem histórico de câncer em parentes de 1º grau, é necessário avaliar com seu médico qual é a melhor idade para início dos exames. Muito importante lembrar que, havendo alguma queixa nas mamas, como presença de nódulos, a procura ao Mastologista deve ser o quanto antes e independe de idade.

    Os cistos são como bolhas de líquido acumulado na mama e são, quase sempre, benignos, não aumentando risco de câncer. São muito comuns, dificilmente causam dores e, geralmente, estão relacionados com os hormônios femininos. Já os nódulos são caroços sólidos e podem ser benignos (como o chamado fibroadenoma, que não representam risco de câncer) ou malignos (já são câncer).

    Porém, cistos e nódulos mamários costumam ser percebidos pelas mulheres da mesma maneira, como um caroço palpável. O que vai de fato diferenciar um do outro é a avaliação médica somada aos exames de imagem. Sendo assim, palpou um caroço na mama, procure um Mastologista!

    O câncer de mama não tem apenas uma causa, mas, sim, alguns fatores que aumentam o risco de desenvolver a doença. Os principais são: idade (mulheres acima de 40 anos), obesidade, sedentarismo, consumo de álcool, tabagismo, histórico familiar em parentes de 1º grau. Para conhecer mais, leia uma matéria em meu blog.

    E, mesmo assim, é possível uma mulher sem nenhum desses fatores de risco ter um câncer de mama. Então, na presença de alterações nas mamas, procure um Mastologista.

    Você pode se prevenir contra o câncer de mama cuidando da sua saúde no dia a dia: escolha uma alimentação equilibrada e inclua vegetais, evite bebidas alcoólicas,  não fume, exercite seu corpo regularmente com uma atividade que goste e… cuide da mente, descanse, durma bem, acalme seus pensamentos com práticas meditativas. Além disso, mantenha suas consultas médicas e exames de prevenção em dia. Pratique o autocuidado.

    Abordagem integrativa.

    Olhar para saúde física, mental, emocional e espiritual.

    Fellowship em Mastologia e Mestrado em Oncologia pelo AC Camargo Cancer Center, cuido da saúde das mamas das mulheres e dos homens. E, adepta à Medicina Integrativa, busco olhar para meus pacientes como um todo – não apenas o corpo físico, mas também o mental, emocional e espiritual.

    Previna-se sempre! Priorize o autocuidado!

    Depoimentos

    O que estão dizendo?